29.3.09

Prostitutos cultuais e mercadores da fé

Eu estava tentando encontrar um adjetivo para qualificar os atuais cantores e pregadores que cobram elevadas somas em dinheiro para pregar ou cantar nas igrejas e em conferências promovidas por evangélicos, e achei que “mercador da fé” não é um adjetivo apropriado, porque é simples demais para nominar tais pessoas.

Pois bem. Vejo esses exploradores da boa-fé evangélica como prostitutos cultuais – que é a tradução da versão atualizada – para os que se prostituíam junto aos templos pagãos e que depois passaram a se prostituir diante do templo do Senhor em Jerusalém. Porque os prostitutos (as) cultuais mencionados na Bíblia exploravam os que se dirigiam ao templo para adoração oferecendo-lhes um pouco de orgia – orgia sexual revestida de espiritualidade, como alguns desses a que me refiro que falam línguas, profetizam, oram pelos enfermos, são místicos e super espirituais... Mas orgiofantes (como os sacerdotes que prestavam culto a Dionísio).

Os prostitutos e prostitutas cultuais, comuns nos templos pagãos passaram a conviver com os adoradores junto ao templo de Jerusalém, indicativo de uma deformação espiritual da nação de Israel. Não estou afirmando que é comum tais pessoas se prostituir de verdade, em orgias sexuais; estou afirmando, isto sim, que sempre que uma pessoa se afasta de Deus, comete prostituição com outros deuses – fato mencionado pelo próprio Deus em várias passagens do Antigo Testamento. Em Ezequiel 16 ele compara Israel a uma menina, que é cuidada por Deus, adornada e preparada para ser esposa, mas se prostitui com os povos vizinhos.

Deus se antecipou ao que poderia acontecer e recomendou a Moisés: “Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça... Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do Senhor, teu Deus (Dt 23.17-18).

O que se vê hoje no Brasil é uma orgia espiritual, uma masturbação coletiva praticada por cantores e cantoras, pregadores e pregadoras, que não conseguiram fazer sucesso no mundo e encontraram na igreja um filão de negócio; o caminho para o enriquecimento à custa da espiritualidade dos irmãos.

Imagine o Lázaro da Bíblia, que Jesus ressuscitou dos mortos gravando seu cd e saindo pelo mundo a pregar nas igrejas, usando os recursos para comprar bens e imóveis em Atenas, Roma e Jerusalém. Imagine Dorcas, relatando sua ressurreição e insinuando aos irmãos por onde pregava que precisava de dinheiro para comprar máquinas de costura a fim de ajudar os pobres com maior eficácia, lucrando com a bênção alcançada. Eles seriam excluídos do rol de membros do céu pelos apóstolos.

Pois sei que esses excrementos espirituais – e não há palavra melhor para descrever tais pessoas – cobram preços exorbitantes para pregar e cantar. Eu estava numa cidade pregando o evangelho e em várias cidades daquele Estado os irmãos se mobilizavam para ouvir o ex (que deve ter fracassado no mundo) cujo preço varia de 20 a 35 mil reais por apresentação. Este cantor que explora a espiritualidade do povo deve ganhar, pelo menos, com a agenda cheia em torno de cem mil reais por semana! Sim, porque fazem sucessos os ex-, sejam ex de quaisquer espécies. Ex que tocou na famosa banda do mundo; ex- que se prostituía com drogas, mas agora se prostitui com dinheiro. Prostituem-se com a fé. Sim, porque quais prostitutos cultuais do AT usam da espiritualidade para fazer orgia com o povo com o fim de levar o povo a se alegrar, enquanto eles ficam ricos.

Uma denominação pentecostal nutriu, alimentou e criou um pregador que cobra o exorbitante preço de quinze mil reais por pregação e nunca tomou uma atitude corretiva e disciplinar quanto a seu enriquecimento e vida pessoal; ao contrário, alimenta o sucesso desse mercador de dons. Balaão se sentiria envergonhado!

Assim, quando viajo pelo Brasil sinto no ar o odor fétido que eles deixam por onde passam; o odor da prostituição espiritual, o cheiro nauseabundo que costumam exalar os espiritualmente mortos. Que se prostituem espiritualmente e que levem pastores, líderes e povo à prostituição com eles é inegável, e não é de se duvidar de que se prostituam literalmente em seus confortáveis quartos de hotel. Pregadores e cantores que fazem exigências incomuns; que não aceitam fazer uma refeição na casa de irmãos; apenas em restaurantes que servem a La Carte. Que não se contentam com os bons hotéis e se não houver os melhores, recusam-se participar de eventos a menos que suas exigências sejam atendidas.

Os culpados são os líderes que atraídos pela ganância financeira esperam obter lucros com os gananciosos. Certamente porque muitos pastores, apóstolos e líderes se prostituíram espiritualmente, empolgados com as riquezas deste mundo, sonhando com mansões no litoral brasileiro e nas famosas cidades dos Estados Unidos.

Que posso dizer? Afirmar que alguns desses pastores que apóiam tais cantores e pregadores, juntamente com estes sejam descendentes de Balaão – que se prostituiu e usou de seus dons para ensinar Balaque a armar ciladas para os filhos de Israel – seria ofender o profeta do Antigo Testamento, que por seu pecado foi morto por Josué.

Quem sabe possuem o DNA de Judas, ou são da mesma linhagem espiritual que vendem o nosso Senhor em troca das benesses de Mamom. Pedro e Judas descreveram tais cantores, pregadores e pastores com adjetivos pouco recomendáveis, afirmando que estes “andam em imundas paixões e menosprezam qualquer governo. Atrevidos, arrogantes, não temem difamar autoridades superiores... Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco; tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos; abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça... Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas”.

Por mistificações o apóstolo está se referindo aos que usam dos dons espirituais para se sobrepor aos demais; eles têm dons, são místicos e falam como se uma nuvem de transcendência divina repousasse sobre eles.

Faz-se necessária uma limpeza na igreja, a Casa de Deus, como fizeram Asa e Josafá. Asa tirou de cena sua própria mãe e “removeu os prostitutos cultuais” que usavam o templo como local de prostituição. Josafá ainda precisou intensificar a reforma, porque, de tempos em tempos os aproveitadores da boa vontade do povo; os exploradores da espiritualidade das pessoas, tais como eram os filhos de Eli aparecem na igreja de Deus (1 Rs 15.12; 22.47).

Uma igreja rameira serve de alcova para os exploradores da espiritualidade do povo. E Deus haverá de limpar sua igreja.

João A. de Souza Filho
dica do José Freire

14 comentários:

Wladimy Morais Farias disse...

Coragem! A questão levantada por o autor do texto reflete realmente o que esta acontecendo em uma porção significativa do chamado arrail evangélico.( também chamado povo de Deus ). Admiro a sua coragem. Entretanto eu gostaria de lembrar que o amor de Deus não está restrito a uma categoria de pessoas supostamente suas preferidas. O Pai das luzes, conforme escreve o apostolo Thiago, é imutável. Não faz acepção de pessoas. É Deus de toda terra. E O CONTROLE DA HISTÓRIA ESTÁ EM SUAS MÃOS.De todas as tribos , povos e raças muitos virão O louvar. É nisso que descanso , depois de me cansar 16 anos na religiosidade evangélica. Eu não preciso estar em uma igreja (leia-se denominação ) pra ser igreja. Eu faço parte do corpo de Cristo que está sobre a terra e as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja conhecida e escolhida por ele para frutificar.(Ele conhece as suas ovehas e nenhuma se perderá, O Bom Pastor continua a buscar as suas ovelhas perdidas). Da qual penso fazer parte.

Maurício Boehme disse...

Falou tudo o que estava engasgado na nossa garganta! Assino embaixo.

Emerugência na Igreja disse...

BAh sem palavras, O Pr. João tem a manha!
Em um pequeno texto resumiu a angustia de muitos! que Deus abençoe muitãooo!

Pavarini disse...

Tá certo ele. Nós é que nos fazemos de cegos, e fingimos que tudo é espiritual e verdadeiro.... Não temos a ousadia de para pra examinar uma letra antes de cantá-la. Não prestamos atenção nas atitudes que muitos têm nos palcos, e o pior é que os imitamos nos púlpitos das igrejas....

Vcs deveriam ouvir aquela musica do JOAO ALEXANDRE (“É proibido pensar”)...........

comentário numa lista de e-mails na qual o texto foi replicado.

josimar disse...

Não se pode generalizar.... mas que tem muita gente nessa situação tem ....

markeetoo disse...

como diria a música do metallica:
Sad But True ehehe, triste mas verdade.

É incrível como a maioria tem medo de denunciar tais atos, sendo que isso vai destruindo a Igreja.

Lúcio Cardoso disse...

A Paz Pr.
O pior é que esse modelo de estrelato gospel vem contaminando tb as pequenas igrejas.
Por aqui mesmo, os garotos do louvor acabam de dar seu "show" e nem se incomodam de ficar pra ouvir a Palavra. Só voltam no fim, pra ver se o Pregador vai abrir espaço p uma canja de encerramento.
Jesus tenha misericórdia!!

Paulo Reis disse...

WOW!!!

Crítica bem elaborada e com embasamento bíblico. Nuuuuuuuuuuuuuuu!
Fui de passagem em passagem citada, refrescando a minha mente e me deliciando com palavra tal nua,e verdadeira.!

** Quase falo em línguas c/ esta. **

Aproximamo-nos cada dia mais de uma nova reforma?

Anônimo disse...

Muitos nem cobram nada! Mas imitam tudo que estes "prostitutos"fazem, enchendo nossas igrejas de espetáculos musicais que não ensinam nenhuma doutrina, pois eles mesmos não sabem o que é isto. Talvez seja esta uma das faces cruéis do mal cheiro referido no blog.
Parabéns pela postagem! Deus permita que a igreja abra os olhos para os neo-levitas!!!

J. Antony.

Mônica Sampaio disse...

É muito fácil imitar crente. Mas ser crente "é mais embaixo".
www.monica-sampaio.blogspot.com
www.docoracaodedeusparaoseucoracao.blogspot.com
msn e email:monica_sampaio_melo@hotmail.com

Sabrina Dummer disse...

meu tio joãozinho :)
meu orgulho! Sem papas na língua!

Marques disse...

Estou de acordo com o pastor, mas de forma direta ou indireta todos nós temos uma parcela de culpa nisso. Essa industria é alimentada em primeiro lugar pelos pastores que em busca de "mais gente" ou "crescimento", não medem esforços para alcançarem seus "objetivos". Sou pastor ha alguns anos, e não foram poucas as vezes em que fui "aconselhado" a convidar as "estrelas" para vir a igreja darem o seu show particular. também sou músico e quando era mais jovem nunca faltou nas bandas que participei o espirito de "quero aparecer, para honra e glória de Jesus". Entendo que dentre todos existem os siceros, mas uma grande maioria, de fato quer mesmo é obter algum lucro com isto. Por outro lado, nunca faltam os que vivem de lugar em lugar, de igreja em igreja em busca de ouvir, ofertar e continuar alimentando essa indústria. Duvido muito que se não houvesse espectadores haveriam estas estrelas. O que entendo é que não podemos nos eximir em assumir nossa parcela de responsabilidade nisso. Como bem citou o autor do artigo, em outras palavras, existem os que vendem porque também existem os que compram, por isso chamo esta cadeia de INDUSTRIA. Creio que o pastor teve a iniciativa de abordar o assunto de frente, mas também é nossa responsabilidade apresentar uma solução. O que estes fazem é o mesmo que os cambistas faziam na entrada do templo de Jerusalém em outra roupagem. Nos resta atuar como Jesus atuou.

Isaias disse...

Acho que estes individuos, apagaram de suas bíblias, se é que as têm, a passagem que diz: "de graça recebestes, de graça dai..." e ainda bem que o pastor teve a coragem de dar um nome aos bois e dizer a quem pertencem, assim ninguem mais pode buscar desculpa. Muito bem pastor.

Cristiano disse...

Tudo farinha do mesmo saco, não tem um que se salve, seja o joãozinho que leva um salário mínimo de uma igrejinha como pastor, enquanto seus membros não tem o que comer em casa, seja os grandes popstars gospel, é tudo igual, Jesus pregou de graça, o apóstolo Paulo pregou de graça, mas todos os pastores que conheço preferem viver as custas da igreja do que tomarem vergonha na cara conseguirem um trabalho, todos são sanguessugas do povo de Deus.

Blog Widget by LinkWithin