27.8.09

Beber, cair e pilotar (37)

Fui a uma festa de despedida de solteiro em uma chácara perto de Campinas, do meu amigo Amadeu.

A galera toda lá. Muita cerveja, uísque, vinho. A noite prometia. Muitas gatinhas. Galera animada.

Saí de lá nem sei que horas. Travado! Indo pela rodovia, avistei algo que se tornou o terror dos festeiros... Uma blitz!!! Comecei a rezar para tudo quanto era santo. Mas... fui sorteado.

Quando parei, quase atropelei o guarda. Tava ruim. O guarda pediu para eu descer do carro. Quase não consegui. Aí o pesadelo aumentou. Ouvi o que qualquer bêbado teme:

- Vamos fazer o teste do bafômetro!

"Tô frito!" Pensei.

Quando, ao que parece, os santos resolveram me atender. Um caminhão bate na outra pista e espalha toda a sua carga... Os guardas imediatamente me dizem:

- Vá embora, vamos socorrer aquele acidente...

Eu, mais que depressa (ou pelo menos tentando), entrei no carro e fui embora. Feliz da vida. "Hoje é meu dia de sorte", pensei..

Cheguei em casa, guardei o carro e, após agradecer aos santos pelo meu dia de sorte, fui dormir. Tava feliz.

No outro dia, minha mãe me acorda as 7 da manhã me perguntando:

- Filho, de quem é aquela viatura da polícia estacionada na garagem?

Um comentário:

Danilo Fernandes disse...

Muito bom!

Blog Widget by LinkWithin