1.11.09

Os 7 pecados capitais dos pastores evangélicos

Soberba - O que tem de pastor soberbo por aí, só mesmo vendo para acreditar. Muitos deles se acham melhores e mais santos do que os outros, sem atentar ao fato de que foram salvos exclusivamente pela GRAÇA e MISERICÓRDIA de Deus, sem que nada merecessem, a não ser condenação e inferno. Que eles jamais se considerem melhores do que os crentes e incrédulos, devendo amá-los, respeitá-los, pregar-lhes o Evangelho bíblico e orar por eles, a fim de provar que realmente os amam. Vamos ler Romanos 14:10: “Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo”; 14:12: “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”.

Ira
- Este é um pecado muito comum nos “pentecapastors“ e nos “avivados”, quando os gazofilácios de suas igrejas não ficam recheados de notas, após os cultos em que eles pregam, desavergonhadamente, Malaquias 3. Eles sempre exigem dízimos e ofertas (com até cheques pré-datados) das ovelhas incautas, as quais, acreditando em receber bênçãos à custa de sua generosidade, vão dando o que têm e o que não têm a esses “ministros do anjo de luz”, que desonram a igreja do Senhor (Efésios 4:26; Tiago 1:19; Mateus 5:22, etc.).

Preguiça - Existe uma classe mais preguiçosa do que a dos pastores evangélicos? Primeiro, não exercem um emprego secular com a desculpa de se dedicarem exclusivamente ao “serviço de Deus” e aos assuntos da igreja. Contudo, esses mandriões dormem até altas horas do dia, ficam horas perdidas diante dos aparelhos de TV, ou fofocando com os confrades, e quase não lêem a Bíblia, a não ser em busca de alguns versos (em geral do Velho Testamento), para os transformarem numa pregação medíocre. Segundo, dificilmente esses pastores visitam uma ovelha carente ou enferma e nunca ajudam suas esposas nos afazeres domésticos, pois, em geral, são machistas demais e suas esposas se matam de trabalhar, em casa e na igreja, se não tiverem uma boa empregada (Provérbios 6:9; 15:19; Isaías 56:10, etc.). Leia +.

Mary Schultze, no Informativo Batista.

4 comentários:

Carvalho disse...

Lamento que este site se proponha a exibir um texto da Sra. Mary Schultze de tão mau gosto. “Quando ela escreve sobre pastores, tentando disfarçar atingindo somente o que chama de “pentecapastors”. No entanto, quando afirma:” Preguiça - Existe uma classe mais preguiçosa do que a dos pastores evangélicos? Primeiro, não exercem um emprego secular com a desculpa de se dedicarem exclusivamente ao “serviço de Deus” e aos assuntos da igreja", ela atinge a todos de ministério integral, inclusive o dela, que é aqui da cidade de Teresópolis, um excelente pessoa que a tolera e a respeita pela idade.

A Sra. Mary Schultze que se acha a defensora da verdade, do bem e do mal, da justiça, “empoçada por Deus” já foi infeliz varias vezes em suas criticas. No Jornal Batista, brincando com a doença Bulimia, ela ofendeu a todos os pastores. Mas foi brilhantemente admoestada por uma médica que chamou a atenção dela em relação a uma doença tão séria, e questionou a sua piedade cristã. A maneira como trata os que são diferentes a ela, é de se lamentar. Ela agride católicos, espíritas, e outros, com palavras pejorativas fechando a possibilidade de qualquer diálogo. Agora, agredir mulçumanos ainda não li nada! i

A Sra. Mary Schultze que diz ser a detentora da verdade deveria pegar o seu artigo e aplicar a própria vida. Ela, que é contra o dízimo, assina uma apostila vendida na cidade de Teresópolis, em parceria com Julio Carrancho, sul-africano, um herege que na crê na divindade de Jesus Cristo, além de outras idiotices. Ela também faz parte de um Jornal cujos redatores assumiram publicamente o homossexualismo. Imagine então se fossemos julgar esta senhora pela companhia?

Deixo o meu protesto ao site e maior cuidado com os artigos, e quem os escreve.

Tiago 4.11 Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz.

I Coríntios 11.31 Mas, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados;

Roque Carvalho

David Santos disse...

Confesso que estou bem chocado... como pastor, tentei ler o texto de forma que eu pudesse fazer uma análise de minha vida quanto ao escrito... Mas a falta de amor em cada frase e o julgamento feito (nem me refiro "dos pastores", que receberam sua sentença "no geral", mas foram citados nomes), fizeram com que eu só pedisse misericórdia ao Pai, porque não vi inspiração de Deus no texto, mas acusações que parecem combinar bem com o diabo...

O mais interessante (e contraditório de tudo), é referir-se à supremacia do Novo Testamento, usando palavras e julgamentos que mais cabem no Velho Testamento.

Concordo com o teor do artigo publicado pela autora. Mas a forma escolhida para trazer isto foi a pior possível. Não há idade, sexo ou posição que justifique isso.

Prezada Escritora: Experimente da Graça e Misericórdia do Senhor e viva em Seu amor. Certamente suas palavras combinarão mais com aquelas de Jesus: Vinde a mim todos vós....

Certamente Ele também usou palavras duras, mas nunca deixou de amar. Ele morreu por aqueles a quem exortou também.

Francisco Mário disse...

Esse foi o comentário que postei e volto a postar aqui:

Entendo o desabafo. Essa senhora caiu no texto que ela enfatizou, pois ela fez um julgamento sem, primeiro analisar sobre ela mesmo. É verdade que o texto sobre o julgamento não fala de evitarmos um senso crítico, mas demonstra que, antes de julgarmos, devemos ter uma autoanálise.

Nesse texto há soberba, pois ela escreveu como estivesse de fora, além de palavras jocosas, típico de pessoas incrédulas. Depois, há ira, pela forma que escreveu e da força das palavras. Houve preguiça por causa da mediocridade e citações de textos bíblicos. Com certeza, imagino que essa senhora desconhece que comer em si não é gula. Com respeito a isso, gostaria de vê-la... com certeza não tem um físico de modelo. Luxúria, não temos certeza, mas somente Deus sabe o que se passa no seu coração.

Portanto, foi cômico e patético ela tentando sair pela tangente a respeito de seu pastor. Isso é mais um problema dessa irmã - BURRICE.

Burrice porque, pela lógica, se ela falou de pastor (e do começo ao fim ela generalizou), inclui o seu. Repare o tema "Os pecados capitais DOS pastores evangélicos". Portanto, a irmã, além de demonstrar os mesmos pecados que falou, agiu com burrice incluindo seu pastor. Com certeza é o pastor mais próximo dela.

Realmente, o que precisamos mesmo é da graça. Inclusive para ver textos medíocres como esse.

David Brito disse...

a generalização é BURRA.
Trabalho mais de 8 horas por dia secularmente, chego em casa tomo banho e vou para a igreja que dista 8Km da minha residência.
recebo uma ajuda de custo de R$ 300,00 reais que não paga o combustível pois vou á igreja mais de 5 vezes por semana(mais duas no domingo).
Enfim, não conheço a "cidadã" que postou esta asneira, mas "PELA DIREÇÃO DAS SETAS, SABEMOS ONDE ESTÁ O INIMIGO"e neste caso, infelizmente, na própria igreja.

Blog Widget by LinkWithin