2.12.09

Igreja Gay: Uma vergonha para os evangélicos

Semana passada, no dia 27 de Novembro, uma das rádios evangélicas de maior popularidade do Brasil exibiu um debate sobre homossexualismo. Entre os participantes estavam o Pr. Silas Malafaia, o Desembargador Fábio Dutra, o Pr. Paulo Afonso, o Pr. Augusto Miranda, o Pr. Paulo César e o Pr. Marcos Gladstone. Este último é líder da Igreja Contemporânea do Rio de Janeiro, conhecida como "igreja gay".

Gladstone é homossexual assumido, e declara ser casado com seu companheiro e também pastor Fábio Inácio.

O debate poderia ter sido muito proveitoso, caso não houvesse alguns momentos desrespeitosos, onde as partes se atacaram mutuamente.

Silas, como sempre, vociferou suas opiniões sem o menor recato, chegando ao cúmulo de referir-se aos seus opositores que assistiam no auditório da rádio como "bonecas". No final, retratou-se, sabendo que isso poderia lhe render uma ação jurídica.

Se todos mantivessem a linha, muitas coisas poderiam ter sido esclarecidas. Oportunidade desperdiçada.

Tive pena do Gladstone. Embora discorde de seus posicionamentos, acho que ele merece respeito, como qualquer ser humano.

Silas disse que não há igreja evangélica gay, nem tampouco "pastor gay". Gladstone, para revidar, afirmou que era pastor reconhecido pela Federação de Teólogos do Brasil (ou algo do gênero).

Um dos momentos mais curiosos foi quando Gladstone afirmou que muitos pastores e filhos de pastores já o procuraram em sua igreja, confessando que eram gays. Não duvido nada! Conheço o caso em que um pastor foi flagrado sentado no colo de um obreiro.

Definitivamente, a igreja evangélica brasileira não está preparada para discutir um assunto tão polêmico como este. Falta maturidade, finesse, e sobretudo, amor.

Por que acho que é uma vergonha para os evangélicos que haja uma igreja gay? Simples. Esta igreja só surgiu para preencher uma lacuna deixada pela igreja evangélica. Se os gays fossem acolhidos em nossas comunidades, a fim de que fossem expostos à Palavra de Deus, eles não teriam qualquer razão para buscar uma igreja dedicada exclusivamente a eles.

Não estou dizendo que as igrejas deveriam legitimar sua conduta. Não! Apenas afirmo que devemos ser mais misericordiosos, compassivos, agindo mais ou menos como nosso Mestre agiria.

Me recuso a acreditar que Jesus os rechaçaria. Também não acredito que Ele estimularia que Seus seguidores se entrincheirassem contra os homossexuais, como tem sido feito.

Tornamo-nos seus inimigos número 1. Como poderemos evangelizá-los? Como poderemos conduzi-los aos pés do Salvador?

Será que somos melhores do que eles? Será que nossa avareza, idolatria, inveja, carnalidade, ocupam um lugar de menor importância dentro da lista de pecados condenados pela Palavra?

Sinceramente, creio que a Igreja deveria se manifestar solidária a todo grupo humano minoritário que buscasse ser respeitado. Sem endossar qualquer que fosse a conduta pecaminosa, deveríamos comprar uma briga pelas prostitutas, homossexuais, seguidores das religiões afro-brasileiras, ciganos, etc.

Te escandalizei?

Pois o Cristo a quem sirvo também escandalizou os religiosos pudicos de Sua época ao colocar-se em defesa da mulher adúltera, desmascarando a pseudosantidade dos religiosos que queriam apedrejá-la.

Tornamo-nos tão diferentes de Jesus. Estamos sempre do lado errado. Do lado dos poderosos, dos mantenedores do Status Quo, dos corruptos, dos salafrários.

Repito: não acho que devemos baratear a mensagem do Evangelho, endossando qualquer conduta que não se coadune com seus valores e princípios.

Porém, acredito que devemos usar de misericórdia, tanto quanto dela necessitamos. Afinal, são os misericordiosos que alcançarão misericórdia.

Ao xingar seus oponentes de 'bonecas', ou 'meninas', Silas Malafaia revelou o lado preconceituoso daqueles a quem ele julga representar. Foi um desserviço à causa do Evangelho.

Nunca vi ninguém se converter no calor de uma discussão.

Se queremos ser respeitados, devemos, antes de tudo, respeitar, mesmo o mais vil pecador. Não somos melhores do que eles.

Que tal se olharmos para nós mesmos como fez Paulo, que considerou-se o principal dos pecadores?

Que tal se deixarmos de olhar para o outro de cima pra baixo, e considerar-nos igualmente carentes da graça de Deus?

Que o Projeto de Lei 122 precisa de ajustes, não resta dúvida. Mas não será com xingamentos e ataques que vamos reverter isso.

O que não se pode negar é que o debate serve mesmo é a interesses políticos daqueles que se fiam na ingenuidade do povo evangélico para se elegerem.

Igreja nenhuma deveria sentir-se ameaçada por qualquer que seja a PL. Faz-se um escarcel danado para que os crentes pensem que a tal "ditadura gay" vai obrigar às igrejas a aceitarem e celebrarem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. E assim, os propineiros vão se elegendo e agradecendo ao deus Mamom pelas "graças" recebidas.

Hermes Fernandes

23 comentários:

Anônimo disse...

Com todo respeito, sem querer estrapolar,pois sei bem o que está escrito no evangelho sobre esse assunto. Hj em dia, com tantos pecados se cometem em nome da fé, crimes que, até na justiça do homem são grandes, fica dificil considerar que ser gay seja uma vergonha para o evangelho.

Deixo aqui:

A Grande Vaia

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto…” Rui Barbosa.

É o que está acontecendo comigo, ultimamente, tenho vergonha de dizer que sou evangélico!

Eliézer disse...

Endosso a manifestação do querido Hermes Fernandes.

lívia de feo disse...

Vi fotos das manifestações realizadas em Brasília contra o projeto de lei. Cartazes com frases como: DEUS AMA OS HOMOSSEXUAIS, MAS ODEIA O HOMOSSEXUALISMO.

Pela reação do Malafaia e cia, dá para ter uma idéia o que aconteceria se escrevessem: AMAMOS A DEUS, MAS ODIAMOS OS CRENTES em plena marcha para jesus.

Déia-Pira disse...

Como poderia responder a esse texto? Concordo em gênero, número e grau.

Anônimo disse...

Deus ama a todos de maneira igual, mais odeia o pecado, porque, o que nos afasta de Deus é o pecado. E aos olhos do Pai, homossexualismo é pecado. Não podemos condenar o homossexual e sim, ter amor pela vida deles pregando a palavra de um Deus vivo, que, como um de seus mandamentos mais preciosos foi: Ame ao proximo como a ti mesmo. Mais creio que uma pessoa que vive no pecado e não se arrepende não deveria pregar a palavra de Deus pois está pessoa está sendo hipócrita, pois na biblia diz em romanos 1:27-29

27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
28 E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
29 Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;

Quando ouço que um pastor está roubando dinheiro de seus fiéis fico indignado como pode estar lá em cima pregando uma palavra que não vive, creio que não deve ser diferente com os homossexuais.

Robson Lelles disse...

Endosso tudo que você escreveu, irmão Pavarini!

Ninguém pode afirmar ser cristão se não visitar os coletores de impostos corruptos para convertê-los (não basta cantar "Como Zaqueu..."); se não pregar às prostitutas para que retornem ao caminho; se não lutar para imergir homossexuais na Palavra de DEUS para que entendam que é possível resistir à carnalidade abominável por DEUS. Principalmente, se não lutar contra o fundamentalismo preconceituoso, fascista e ariano alojado nas igrejas, que prega tacitamente a purificação da raça crente (ridículo falar de raça pura no Brasil!) através da segregação daqueles que mais precisam ouvir da Palavra.

Que esse canal que DEUS lhe pôs nas mãos continue a ser uma luz no fim dos escuros túneis malafaicos, macedianos, felicianos e outros que tais.

DEUS te abençoe!

Anônimo disse...

Já disse o Senhor que antevê os fatos: " Por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos se esfriarão"

"Será que qdo eu voltar encontrarei fé na terra?"

Luiza Ferraz

Pavarini disse...

opa. vlw o carinho, robson!

só uma observação. este texto foi escrito pelo hermes fernandes.

abraço

Douglas Negrisolli disse...

O tom do discurso mostra o amor.

Infelizmente esse Sr Mala indiretamente representa a Igreja brasileira. Não me representa, nunca representou e com esta falta de amor... duvido que um dia irá representar.
O trecho final do texto resume tudo... a "Mamon damos graças" e jogaremos pedras naqueles outros.
Fico triste, muito triste com a ignorância e com a falta de amor da Igreja brasileira como um todo. O problema de não amar é grave... o problema de não respeitar é o pecado e o de atacar é o próprio inferno.

Peço Jesus, que um dia o amor aumente, nem que for como a luz de uma vela, como uma faísca nessa nossa igreja falida.

Anônimo disse...

Depois de ver campanhas na TV para arrecadação de dinheiro que chega doer os ouvidos;
- de ver o Bispo Edir Macedo ensinando seus pastores a pedir dinheiro, "ou dá ou desce", foi essa a expressão que usou;
- a Bispa pregando na TV com toda empáfia, que as pessoas mentem para difamá-los;
- de pedofilia, adultério no meio evangélico, eu pergunto:

- Será que os Gays acreditariam na nossa pregação? Será que não acham que precisam de igreja que não os segreguem, que os aceitem como são?

Se eles tivessem liberdade de entrar em igrejas evangélicas e ouvir sobre o sacrifício e o amor de Jesus, talvez se lhes abrissem os olhos, porque a fé vem pelo ouvir a Palavra.

Palavras duras de exclusão e discriminação, gestos de rejeição não atraem ninguém para Cruz. Pastores pregam aos gritos, com dureza. “Quem não tem pecado que atire a primeira pedra”. Será que alguém pode falar que os gays não podem abrir a sua igreja?

Acho que seria uma pedra sendo atirada por grande pecador, não seria?

Quem acha que pode a essa altura do campeonato?

Depois de tudo que li aqui...a minha pedra deixo no chão, onde ela fica melhor.

Anônimo disse...

Parabéns ao Hermes por este texto, que revela exatamente o que penso.Não me conformo com nenhuma prática ou pensamento diferente do que Jesus pregou e viveu.
Monica

Cristina Danuta disse...

Gosto muito dos textos do Hermes Fernandes. Mas confesso ainda ter muito a aprender e não só em relação a esse assunto. Tolerância, paciência, amor, sabedoria, compaixão, saber me colocar no lugar do outro. Cada dia mais vejo que careço ,e muito, de tudo isso e um pouco mais.

Hugo Lucena Theophilo disse...

É...O discurso da igreja sobre a homossexualidade não santifica ninguém. Há que se voltar para a Graça que salva e santifica.

hugo
http://hugotheophilo.blogspot.com

Pr Julio Soder disse...

"Eu bem que desconfiava mesmo que o fato de surgir uma igreja gay era culpa dos evangélicos"!
Essa foi a campeã das justificativas...superou até a de Adão!
Que bom que existe uma grande variedade delas. Assim ninguém precisa assumir nada!

Yolanda disse...

Concordo com você, Hermes.

Yolanda

Nykison Lucas disse...

Não quero transparecer uma hipocrisia da minha parte em dizer que sou "o cara" imitador de Cristo. Assumo que ainda tenho que aprender muito como chegar, acolher e amar os homossexuais. Mesmos cristãos (pq acredito que a causa principal das especulações, brigas e discordias são decorrentes a RELIGIÃO, uma vez que se queremos seguir o que CRISTO disse e fez, e em toda sua caminhada Ele nunca ensinou a sermos de RELIGIÃO tal) ainda somos guiados pelos nossos EXTINTOS sociais e humanísticos, conseqüência disso é uma auto e independente restrição em questão a diversidade sexual. Ainda hoje, é difícil não desassociar o HOMOSEXUAL (pessoa, humano, criatura) com o HOMOSEXUALISMO (pecado). Preciso ansiosamente que Deus me ensine como fazer aquilo que está no próprio coração de D'Ele a respeito disso. Ainda sim questiono: Existe destinação de pecados? Você comete pecados? Eles são menores do que o HOMOSEXUALISMO? Vc é descriminado na igreja por ser um PECADOR? Se sentiria a vontade em um debate sobre masturbação ser chamado de punheteiro? Ou de enganador, mentiroso, invejoso... enfim meus irmãos somos tão errados quanto aos nossos irmãos homossexuais. Inclusive aqueles que debatem e os chamam de "bonecas", se fossem perfeitos já não estariam no meio de nós.

Cordialmente

Mirian disse...

Esse texto é de uma coerência tal que quase não vejo no meio evangélico quando se discute sobre o homossexualismo.
Obrigada por compartilhar.

will jesse dias disse...

Penso que seja possível q a inclinação homossexual em si (às vezes chamada de "orientação sexual") não seja o q se deve limitar, mas sim a prática da mesma. Comparativamente, heterossexuais também possuem desejos contrários aos ensinamentos de Deus (desejo de estar com outras mulheres, ou desejá-las fora do casamento, etc.), e nem por isso dizemos que a heterossexualidade em si seja pecado. O que é pecado é a prática desses desejos. Deixo bem claro: o desejo homossexual não é MAIS pecado do que mtos desejos heterossexuais. Deus nos chama a vivermos um relacionamento monogâmico heterossexual (o casamento) e dominarmos os nossos desejos sexuais que não se aplicam, seja lá qual forem.

Anônimo disse...

com todo o respeito a essas vidas mas homossexualismo, ou gay é a mesma coisa e portanto é pecado pois Deus fez o homem macho e a mulher fêmea e nao meio a meio, portanto cambada de homens disfarçados de homem e mulher tomem vergonha e vao se converter ao senhor Jesus para a conservação de suas almas por que o corpo já está entregue ao diabo.

tito disse...

Quando estudante de Teologia em São Paulo,fiz um estágio na Praça Ramos de Carvalho, o centro paulista da prostituição,a minha visão é outra quando nós vamos para o meio da prostituição e ouvimos suas queixas.Algumas eram filhas de evangélicos, uma se converteu e tivemos problemas de arranjar um lugar para ela passar a noite.No caso gay,a nossa estratégia precisa mudar e muito.Não devemos esquecer que pai Abraão nosso pai na fé, intercedeu por Sodoma e Gomorra, confere,está escrito.

tito disse...

Outra coisa! Aqui em Brasília eu não sei onde tem uma igreja evagélica 'gay',mas conheço uma igreja pastoreada por pastor 'bi-sexual'(ele é casado).A igreja toda sabe e convive com o tal pastor,que já foi pego várias vezes até com o seu ex-motorista,que revoltado vive denunciando o fato publicamente.A operação abafa continua ativada .

André L. disse...

"Falta maturidade, finesse, e sobretudo, amor."
Isso resume tudo. Que bom encontrar alguém com bom senso que escreve de forma corajosa ao admitir que o povo evangélico (o qual eu me recuso chamar de igreja) não está (e creio que nunca estará) para lidar com tal assunto.

Isaias Medeiros disse...

Já estive do outro lado, daqueles que se entricheiravam contra a homossexualidade e o movimento gay, mas hoje percebo que isto é um enorme erro.

E considero também inaptas a lidar com este tema pessoas incapazes de saber o que se passa nas mentes e nos corações dos homossexuais.

É facil demais condenar algo que não nos diga respeito diretamente.

Belo texto.

Abraço.

Blog Widget by LinkWithin