23.2.10

Em defesa da sensualidade intelectual

"Vocês se lembram do Tio Patinhas, o tio milionário do Pato Donald que nadava em uma piscina cheia de moedas? Ele tinha uma sensualidade física pelo dinheiro. Gosto de me ver como alguém que gosta de tomar banho em piscinas cheias de inteligência alheia, de cultura alheia, de sabedoria alheia. Quanto mais alheia, melhor. Quanto menos coincide com meus pequenos saberes, melhor".

As palavras, proferidas abril de 2009, são do então candidato à presidência do Uruguai, José Mujica.

De acordo: tendo a inteligência alheia por vizinha, a nossa mente brilha.

Ou preferimos a companhia dos que seguem a manada?

Israel Belo de Azevedo, no Prazer da Palavra.

2 comentários:

CHICCO SAL disse...

Cada vez mais aprecio o pr. Israel. Sua objetividade me cativa. Vai direto ao que interessa.

Adriana Neumann disse...

Bom, se considerarmos o ser vivente q ocupa a cadeira n. 1 do Planalto (e o pior, legitimamente!), veremos o que nosso país prefere.

Blog Widget by LinkWithin