5.2.10

Fé cega, faca amolada

FTBTMS - Short from Joey Tribiani on Vimeo.

Esta animação espertíssima é parte do documentário Como Diz a Bíblia (For The Bible Tells Me So, 2007), que examina a condenação religiosa da homossexualidade nos Estados Unidos. O diretor Daniel G. Karslake opta por uma abordagem construtiva, mostrando exemplos de homossexuais crescidos em famílias extremamente religiosas e que, de certa forma, conseguiram conquistar o respeito de seus familiares. Declarações de especialistas do calibre de Desmond Tutu, contextualizam alguns trechos da bíblia utilizados frequentemente pelos fanáticos para disseminar mensagens de ódio e preconceito.

Uma das mais graves constatações que se tem depois de assistir ao filme é a de que a direita radical religiosa é um dos movimentos mais perigosos da história. Pessoas são assassinadas em seu nome, com a benção de líderes irresponsáveis que fazem questão de plantar e fazer crescer o ódio e a intolerância, com suas noções confusas de pecado e punição.

Fonte: CAFEÍNA

Enquanto a massa evangélica insistir em tratar do assunto com preconceito e repetindo velhos chavões, a coisa irá de mal a pior.

8 comentários:

Beta disse...

Velhos e equivocados valores...
Lamentável!

Geibson.l disse...

O que esta acontecendo e esquecer que se deve odiar o pecado, e não o pecador.

Todos esquecem que Jesus tratava os rejeitados por não se enquadrarem no padrão de pureza exigido pela sociedade com amor e os religiosos com severidade, pois os primeiros admitiam não ter um relacionamento correto com Deus, já os segundos se colocavam como donos de Deus na terra.

"Quando se sentirem donos da verdade, lembrem, Jesus e a verdade e ninguém pode ser seu dono."

blogdaleilahh disse...

Sim...devemos amar o pecado e não o pecado.
Mas como igreja temos que tomar posição diante do que tem acontecido.Percebo que 2010 é o ano dos gays. Está tudo girando em torno deles.
E Deus condena tudo isso.É só lermos Genêsis 19 que entenderemos...e aí Jesus veio...e a maneira de lidar com o pecado fica diferente...
Sei também que nós não temos sabedoria pra lidar com esse tema.Falta amor e serviço.
E mais ainda....nós, a igreja, deveríamos orar mais em favor da salvação dos gays e pedir que o amor Dele seja o mesmo em nossos corações.
Creio ser o máximo que podemos fazer.

tigvieira disse...

Sinceramente, não consigo ver "gênesis" ou "coríntios" como alegação suficiente para condenar a homossexualidade como pecado.
Primeiro, porque em ezequiel deixa claro que a conduta imoral dos sodomitas é consequencia de um pecado maior, que é a falta de generosidade para com os pobres e necessitados, e não o contrário. A perversão sexual, então, seria tanto com homens quanto mulheres.
Segundo, porque em coríntios Paulo também condena que mulheres raspem a cabeça ou fale durante o culto. Se somos "moderninhos" o suficiente para superar a ordenança para que mulheres sejam capacho dos homens, porque condenar os afeminados?
O que vejo é a ausência de uma família. Já conversei com gays, e o pior problema que eles passam é esse: Ele(a) me abandonou, e agora estou sozinho(a). Não temos filhos, não temos estrutura, não temos uma família.
Se o homossexualismo pode ser considerado pecado, é pelo puro desvirtuar da natureza. Eles não continuam, são estéreis e acabam morrendo sozinhos. E isso é uma coisa a se ter misericórdia, e não acusação.
Quanto ao vídeo; justificar que o homossexualismo é "natural" porque raposa com raposa também faz, é ridículo. Alguns animais, ao "darem a luz", comem seus filhotes por falta de cálcio. Então, porque não façamos o mesmo? Se as raposas podem, porque nós não?
E não é porque muitas instituições dizem uma coisa que ela é verdade. Isso é uma fé tão cega no homem quanto os ateus alegam ser ao ler a bíblia.

É mais fácil respeitar e amar, e não julgar, como disse o Geibson.

Diógenes SkauSURF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Josiane disse...

Temos que aprender que o Amor de Deus não pode ser colocado a força no coração das pessoas.
Quem realmente conhece a Jesus, mesmo com um curriculo enorme de pecados, nunca mais será o mesmo.
O que nos convence do pecado é a Graça de Deus. Nunca pela imposição arbitrária.

Diógenes SkauSURF disse...

Não concordo. Há mais a fazer do que apenas orar. Amar, isso sim é o que devemos fazer. Inclusive é ordenança. Essa de "orar" é bem fácil e cômoda... agora "colocar a mão na massa" s]ao outros quinhentos.

Povinho de muita oração e pouca ação.

Igor Freire disse...

A incapacidade de gerar filhos em relação homossexual é diferente de esterilidade. Existem métodos de fecundação independente de ato sexual (e isso vale para casais heteros também). O fim da relação não é fim do mundo. A vida continua... (e isso vale para casais heteros também).

Quanto a se comer filhotes, trocam alhos por bugalhos. Se o homem não fosse racional, seria um simples animal. Passível de comer filhotes e o que fosse, pra suprimir uma necessidade.

E a inibição dos sentimentos homossexuais, como dito no vídeo, só visa adormecer algo que vai sempre existir. Assim como os alcoólatras não deixam de ser alcoólatras, e os dependentes químicos não deixam de ser dependentes químicos. São só questões adormecidas, armadas para explodir ao puxar do pino...

Blog Widget by LinkWithin