9.4.10

Piscina cheia de ratos

Assista à entrevista de Guilherme de Pádua no programa do Ratinho




Condenado por assassinar a atriz Daniella Perez, em 1992, Guilherme de Pádua reapareceu nesta quarta-feira na televisão após um longo período de reclusão. Entrevistado pelo apresentador Ratinho, no SBT, Guilherme relembrou o episódio e reclamou do comportamento da opinião pública, que até hoje, segundo ele, não lhe deu uma segunda chance. O bate-papo foi marcado pelo constrangimento, já que Ratinho e Guilherme divergiram em diversos momentos.

“Era um grito na minha garganta. Quem me processou foi o povo. No mundo natural, não sou ninguém. No mundo sobrenatural, sou uma pessoa abençoada. As pessoas adoram chutar cachorro morto e pisar em quem está caíndo. As pessoas precisam de Jesus em suas vidas”, disse o ator, que hoje é evangélico.

Perguntado por Ratinho sobre o verdadeiro motivo do assassinato da atriz, Guilherme de Pádua se recusou a responder às perguntas, alegando que estava sofrendo ameaças via Twitter. “A Justiça não errou. Uma vida foi perdida”, disse ao opinar sobre a decisão do júri.

No fim do programa, Ratinho perguntou se ator já havia pensado em pedir perdão à mãe de Daniella, a autora de novelas Glória Perez. “Acho que ela não quer me ouvir”, respondeu. Nesse momento, Ratinho surpreendeu e disse que se estivesse no local de Glória não perdoaria Guilherme.

Famosos criticam programa do Ratinho

Durante a polêmica entrevista várias celebridades criticaram, via twitter, o apresentador Ratinho pelo espaço cedido para Guilherme de Pádua.

Bruno Gagliasso, Ana Lima e Glória Perez twitaram sobre a entrevista e consideraram a postura do apresentador apelativa.

“Divulgar “versões fantasiosas” de assassinos julgados é crime. Passível de processos criminais e civeis!” – escreveu a autora de novelas Gloria Perez, mãe da vítima Daniela Perez.

#parte2   #parte3

fontes: O Dia / YouTube [via O Verbo]

putz, haja plasil p/ aguentar 2 vídeos de programas sensacionalistas na sequência. a piscina televisiva está cheia de ratos e, como alertou o p(r)o(f)eta "suas ideias ñ correspondem aos fatos".

optei por postar pq o tema provoca uma série de reações controversas na minha cabeça e, embora bastante incômoda, a reflexão é necessária.

algumas considerações ligeiras:

1- compreendo a dor e sou solidário a glória perez. ver o assassino da sua filha pagando de bom moço na tv revira feridas que só a graça de deus poderia cicatrizar;

2- o problema é que essa mesma graça é associada ao causador da tragédia familiar. tanto tempo de caminhada cristã ñ foi suficiente p/ o cabra adquirir um mínimo de sabedoria e ao menos evitar ser usado p/ polêmicas inúteis em busca de 2 ou 3 míseros pontos de audiência?

3- guilherme pagou seu crime de acordo c/ as frouxas leis brasileiras. salvo engano, parece que trabalha c/ artes na igreja da lagoinha. o ar impassível (beirando a arrogância) foi representação artística? para quem?

4- impossível ñ lembrar o recente episódio dos jogadores do santos. propalada c/ vigor por muitos pa$tore$, a "lei da semeadura" de fato funciona. essa é a qualidade de crentes resultantes de sementes que vicejam em alguns solos neopentecostais. uma alma ganha torna-se pedra de tropeço p/ inúmeras outras abrirem o coração. antipropaganda eficiente ao erguer muros de preconceito e de intolerância contra os cristãos.

lembrando as palavras de gandhi: "eu não rejeito seu cristo. eu amo seu cristo. apenas creio que muitos de vocês cristãos são bem diferentes do vosso cristo".

10 comentários:

André L. disse...

Eu tenho pena do Guilherme, incauto e despreparado, tenho pena da Gloria Perez, que perdeu a filha e se tornou uma pessoa amarga e incapaz de perdoar e sequer cogitar a possibilidade; todos os dois são alvo da graça de Deus, da mesma forma que qualquer ser bípede nesse planeta. Considero esse moço digno de pena, porque ele foi mexer no ponto onde dói no brasileiro... evangélico ou não: o mundo das novelas tupiniquins. Afinal, Glória Perez sabe mobilizar a massa. Que Deus tenha misecórdia dele, dela, de mim e de todos nós.

Manah disse...

Acho engraçado isso...
Por que será que os artistas globais acham apelativo quando se trata de uma outra emissora e não quando se trata da emissora deles mesmos? Sim, porque a Globo correu atrás de entrevistas exclusivas (e conseguiu, as vezes) com diversas pessoas assim, inclusive com os próprios Nardonis.

Bom, acho que o Guilherme estava certo ao dizer que a sociedade brasileira tem o direito de conhecer as três versões (a do MP, a dele e a da ex)pra poder fazer um bom julgamento do caso. Esclarecendo aqui que esse "julgamento" seria um julgamento social e não judicial.

O triste da entrevista é que o Guilherme ficou meio de mãos atadas sobre o que dizer. Dava pra notar que ele estava realmente assustado com o que poderia lhe acontecer (ele não é tão bom ator assim).

Pelo que eu entendi, para que ele pudesse dizer a motivação pela qual praticou o crime, ele precisaria falar da vítima. E, parece, que ele estava sofrendo pressões e ameaças para nem tocar no nome dela.

Assim fica difícil esclarecer alguma coisa!

Ele alegou que soube dessas ameaças pouco antes de ir ao programa e daí ele ainda foi... E deu nisso!

[p.s.: não estou defendendo ninguém, mas que realmente todos temos o direito de saber o que realmente houve, temos. afinal, também somos parte da sociedade e eles não eram indivíduos isolados. acredito que sim, que todos merecem uma segunda chance, especialmente alguém que já cumpriu sua pena. se não, que lógica tem isso?]

Victor Emanuel disse...

o Ratinho justificando sua ignorância bíblica é hilaria "eu já li a bíblia, mas ela é muito grande"

E o entrevistado tb é ignorante falando que a bíblia é para quem é mais "ligado".

A bíblia é sabedoria para todos!

Beta disse...

Na boa, liberdade de imprensa...
Deixa o Ratinho...
Para mim o Guilherme é que errou nesta entrevista.
Ele deveria falar tudo po!
Mas correu.
Medrou.

Diógenes SkauSURF disse...

Achei simplesmente patético, e fiquei com a impressão de que ele foi sob o pretexto de "mostrar o que Deus fez na via dele".
Me pareceu uam bela propaganda da Lagoinha, me pareceu que ele é (continua) arrogante, me pareceu que ele tentou enrolar o Ratinho.
Despreparado, não produziu nada "útil" para o Reino - a história dele não inspiraria uma transformação de vida em ninguém.
Uma pessoa à beira do suicídio, com uma corda no pescoço e em pé sob um banquinho, pronta para pular... se parasse um instante para assistir à entrevista, pularia da mesma maneira, ou seja: inútil, só serviu para atrair alguns pontinhos no IBOPE e trazer os holofotes para o cidadão Guilherme mais uma vez.

Uma pena, uma tremenda oportunidade perdida para se falar sobre perdão, graça e misericórdia.

Afastou ainda mais a possibilidade - ainda que remota de a mãe da atriz assassinada e outros parentes ao menos enxergarem os acusados com outros olhos, quiçá perdoá-los... perda de bom tempo de mídia.

Resumo da ópera - desperdício de uma - suposta - boa idéia.

REINALDO RODRIGUES disse...

Se conhece a árvore pelos frutos, quer reconhecimento? deixe que os outros reconheçam, ele disse várias vezes que queria ficar no anonimato, bem quem quer o anonimato não se expões dessa maneira, o fato é que se branda ou não, ele foi julgado, condenado e cumpriu sua pena, é ilusão imaginar que o que aconteceu algum dia vá cair no esquecimento, agora o que tem haver o fato da sua conversão, aliás eu pergunto houve de fato? onde estão os líderes desse camarada que não o impediram de fazer essa besteira, e se tentaram faze-lo então ele continua sim com sua característica arrogância e ar de superioridade.

O perdão não é um sentimento é uma atitude, dessa forma não devemos confundir a dor de uma mãe diante do acontecido.

Lamentável tudo isso.

"miserável homem que sou, quem me livrará do corpo dessa morte?"

Nunca, pior ainda se ficar alimentando o ego dessa forma.

Pastor Afonso disse...

Os 5 primeiros livros da Bíblia foram escritos por um EX-ASSASSINO chamado Moisés
.
13 epistolas da Bíblia foram escritas por um EX-ASSASSINO chamado Paulo
.
Foi um EX-ASSASSINO que escreveu dezenas de Salmos, né rei Davi
.
Por dois mil anos se tem pregado mais o evangelho de Paulo, do que os próprios Evangelhos
....
O irmão Guilherme de Pádua perdeu uma grande oportunidade
.
Mas se ele chorasse, iriam dizer que estava representando como ator, se ele contasse a verdade (sua versão) seria processado...neste caso...seja simples como as pombas, mas prudente como as serpentes
.
O que sabemos é apenas o que o ministério público informa, mas existem outras versões
.
A Glória Peres (e todos pais que enterram seus filhos) carregará um desequilibrio pós-traumático para o resto de sua vida, a não ser que se volte para o Senhor Jesus que é o único que pode libertá-la
.
Quem não perdoa se torna semelhante ao seu ofensor, ou as vezes até piór
.

Diógenes SkauSURF disse...

Que fique registrado: Paulo não foi assassino, mas sim cúmplice de assassinato...

Pastor Afonso disse...

Atos 22:20
.
“E, quando o sangue de Estêvão, tua testemunha, se derramava, também eu estava presente, e consentia na sua morte, e guardava as vestes dos que o matavam
.
CONSENTIR:

1) dar permissão;
2) estar de acordo
3) ordenar;
.
.
.
E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão”. Atos 8:3
.
ASSOLAVA:
1)Arruinar,
2)Destruir,
3)Estragar.
.
.
.

Diógenes SkauSURF disse...

Péssimo na Teologia, pior ainda com a Língua Portuguesa...

Blog Widget by LinkWithin