7.4.10

Segundo fôlego

No jargão dos maratonistas, segundo fôlego acontece depois de um certo tempo de corrida. Nas primeiras passadas, o organismo queima açucar, fonte de energia menos calórica e a gente se sente cansado. Depois, passa a queimar gordura, combustível de melhor qualidade. Nesse câmbio da glicose para a gordura, o corredor se sente bem disposto, com mais ânimo, renovado. Nos meus primeiros anos de vida eu consumi glicose, a energia fácil, que me dava furor empreendedor, mas que fatigou.

Agora estou queimando os estoques de tecido adiposo; um jeito mais lento de gastar-me. Começo a experimentar outra qualidade de vida. Sinto-me revigorado; acho que entrei no estágio do segundo fôlego.

Segundo fôlego, porque ando entusiasmado com a minha crescente identificação com a Missão Integral. Missão Integral para mim é compromisso de alcançar homens e mulheres em todas as suas necessidades, considerando as realidades onde estiverem. Encorajado por teólogos católicos e protestantes que souberam responder ao clamor dos pobres na América Latina, procuro traduzir a mensagem do Evangelho em praxis transformadora, em ação libertadora, em promotora de justiça. Estou envolvido com Missão Integral que não prioriza a salvação de almas, mas busca a salvação de vidas.

Segundo fôlego, porque respiro uma nova liberdade. Puiram as rédeas que me impediam de desgustar cultura. Falsas percepções de pecado perderam força de me deixarem assustado com arte, literatura, música, teatro. Não me percebo indigno por gostar de amenidades que moralismos vitorianos proibem; já não preciso me esconder quando quero ir ao cinema. Quem nunca sofreu o torniquete do tradicionalismo legalista da religião, não imagina como é bom sentar em um teatro e assistir aos textos de Brecht, Shakespeare ou Andrew Lloyd Webber.

Segundo fôlego, porque sou abençoado. Deus me agraciou com gente especial; gente que se importa. Estou rodeado de mulheres e homens que aprenderam a Lingua Brasileira de Sinais (LIBRAS) para fazerem parceria com surdos; de casais que se colocaram em listas de candidatos para adoção; de voluntários que lutam pela recuperação de alcoólicos e drogaditos; de idosos que se doam a idosos em sanatórios; de profissionais que se dedicam em diversas iniciativas sociais.

Segundo fôlego, porque mudei minha biblioteca. Entusiasmado, devoro pensadores judeus, católicos, ortodoxos, ateus, agnósticos. A grade de minhas leituras transborda o Index sutilmente imposto por austeros defensores da Reta Doutrina. Transitar entre tantos autores não só ajuda a cumprir a recomendação paulina de analisar tudo e reter o que for bom, como alarga a minha capacidade de ser criterioso com o que eu outrora aceitava ingenuamente.

Segundo fôlego, porque a minha vida de oração ganhou cores diferentes. Deixei de sofrer ajoelhado para mendigar respostas às minhas petições. Minha espiritualidade era trabalhosa. Eu mastigava as palavras para demonstrar para Deus a minha penitência e assim alcançar o seu favor. Quantas vezes desesperei por não entender o porquê de não ser atendido nas súplicas mais urgentes. Nas horas críticas, era terrível ainda ter que lidar com culpa. O ídolo que por muitos anos chamei de Deus foi destronado. Já não preciso provar a minha fé com resultados. A Graça devolveu-me uma relação de paz com Deus. Finalmente entendi que “no silêncio e na quietude” encontrarei salvação. Aprendi o sentido do Salmo 46:10: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”.

Segundo fôlego, porque me tornei um Caleb – o herói bíblico que se sentia um menino com 85 anos. Ele ansiava por conquistar um pedaço da Terra Prometida. Rejuvenecido, vou escrever, pregar, ensinar, discipular, com as forças que moveram aquele rapaz parecido comigo a dizer sim ao chamado de Deus.

Soli Deo Gloria.

Ricardo Gondim

13 comentários:

Eliézer disse...

Me alegra ver o Gondim se reencantando com o Evangelho puro e simples, reencontrando a alegria de servir, livre da angústia que seus textos transpareciam e que o levou a buscar respostas a seus questionamentos nos grandes clássicos da literatura.

Foi uma fase de sua caminhada espiritual. Usou de sua prerrogativa de experimentar alternativas como qualquer ser humano e disso tirar boas lições.

A prática diária da Palavra, que redunda na missão integral da igreja é quem nos dá forças e ânimo para prosseguir, apesar dos ventos contrários.

Sirvo disse...

Hoje, para mim, Ricardo Gondim é um dos maiores pensadores de nossa cristandade!

Suas pregações são aquelas que sempre nos fazem sair da igreja querendo sermos mais parecidos com Jesus.

Ainda que eu tenha opiniões diferentes em alguns pontos daquilo que o Pastor Gondim prega, amo suas mensagens.

É alguém que eu "receitaria" para o outro sem medo de contra-indicações! Os efeitos colaterais são apenas fazer a pessoa pensar mais!

Por admirá-lo li vários de seus livros, principalmente os últimos e saí das leituras engrandecido!

Seu último trabalho, sobre Missão Integral, é um retrospecto de tudo o que aconteceu na área do entendimento da missão da igreja.

"Estou envolvido com Missão Integral que não prioriza a salvação de almas, mas busca a salvação de vidas."

Assim também quero pautar minha vida!

Waina Miranda disse...

Maravilhoso pastor...como é libertador ler um texto como este!!! Vou recomendar em meu twitter, face, etc.

shalom!
Waina Miranda

Anônimo disse...

O Gondim consegue ser o máximo, sendo o mínimo.

Visitei a Betesda há dois domingos seguidos, no último, ele lá estava. Mesmo admirando-o por seus belos textos e pensamentos que sempre vieram ao encontro a tudo que buscava sem mesmo saber, esperava encontrar ali aquela babação que é peculiar aos líderes das grandes comunidades.

Graças a Deus, vi um ser normal, sem aquela pompa que jurei ter medo de encontrar. É o grande no pequeno. O profundo no bem razinho. O senhor em forma de menininho. Vê-lo emocionado citar sobre seu papai me fez chorar junto.
É uma honra saber que existem pessoas como o pastor Ricardo. Simples, bem simples.

Rodolfo Ortiz
rodolfo_alves_ortiz@carrefour.com

CHICCO SAL disse...

Ele ainda estava convalescendo na casa de sua irmã quando enviei um pecado recado - não desista! não desista de continuar escrevendo, falando, repartindo...

Momentos de depressão, de reflexões e de reflexo.

Cansei de ler e ver gente espinafrando o Ricardo, mas não me canso de ver, repetidas vezes e debaixo de variados embates, suas forças sendo renovadas e ele tocando em frente. Sempre esperançoso, ainda que melancólico certas ocasiões.

Um dia alguém há de coligir textos esparsos dele e ver que poderiam ser agrupados, todos, sob um título - 'Entranhas abertas - o caminhar de um homem com Deus'.

Ricardo, que as tuas forças continuem sendo renovadas pelo Senhor e que você continue andando vendo Aquele que é Invisível.

Obrigado por repartir conosco de maneira generosa a simplicidade prazeirosa de andar com Cristo.

Ana Carolina disse...

Já tinha lido alguns dos seus textos no blog das 30 pessoas, projeto que eu admiro e curto muito. Agora entro aqui e vejo um texto do gondim, foi demais! Parabéns pela excelente escolha! Ricardo Gondim é, sem dúvida, uma das pessoas mais empenhadas em pregar a verdade como ela é. Sou feliz por poder ouvi-lo todos os domingos, e participar do seu empenho em nos fazer criaturas cada vez melhores.

Simon Lino disse...

Tá explicado a origem das besteiras que Gondim de vez em quando escreve. A bíblia tem que voltar a ser a fonte daquilo que Gondim conhece de Deus. Examinar tudo e reter o que é bom é exepcional, sendo a Palavra de Deus o filtro, não o contrário.

Que a graça de Deus esteja com Gondim, e com todos aqueles que buscam um relacionamento sincero com Deus

Sola Scriptura.

Francisco Thiago disse...

A ignorância dos cristãos me entristece. Principalmente quando pensam terem aprendido uma ou outra palavra em latim e soltam verboarragias por aí a fora!
Me orgulho do Gondim ter mestrado na mesma universidade que eu. Espero que um dia ele se "liberte"... Apenas isso

Ruy Cavalcante disse...

Tenho um amigo que tbm passou por essa mudança a partir do momento que passou a fezer parte da congregação Betesda, onde gondim exerce seu ministério...

Hoje ele "serve" a Deus promovendo discussões sobre doutrinas tradicionais, usos e costumes.. frequenta boites, bebe, faz sexo com a namorada, pois segundo ele Deus nos chamou para liberdade.


Julguem vcs se condiz com o evangelho.

... Mondego disse...

Sola Scriptura é meus ovos!
Querem diminuir Deus achando que tudo que pode ser ensinado sobre ele está em um livro escrito por humanos.
Esse pensamento eu chamo de "Teologia Excludente", que pensa só ter acesso ao divino quem compartilha da mesma cultura, ou seja, quem não sabe ler, ou não tem acesso a bíblia está fora do alcance da graça do Criador.
Deus está além de Deus!

Anônimo disse...

"A gente é o que come".

Lívia disse...

O texto é excelente e particularmente me desafia a viver um relacionamento de autenticidade com Deus.

Deus é maior do que fórmulas prontas, regras comportamentais e viver Deus é mais do que separar o mundo em dois: certo e errado; bom e mau.

Sobre o "sola scriptura" ouso dizer que Deus é maior até mesmo do que a Bíblia, pois sua Palavra não teria sobrevivido a tanto tempo se assim não fosse.

A igreja primitiva não tinha a "bíblia" e vivia a mensagem de Jesus da forma plena e cativante, tão difícil de ser encontrada hoje em dia.

Eu sou é feliz disse...

Deus, antes de mais nada preciso
te agradecer pela vida do Pastor
Ricardo Gondim, olha eu não sabia
que o Senhor tinha preparado presentes em forma de gente como
ele e sua esposa.
Obrigada Deus.

Blog Widget by LinkWithin