4.5.10

Que falta de sacanagem!

Primeiro vamos ao vídeo que inspirou este post, volto logo em seguida:



Isso que você acabou de assistir (ou que já havia assistido em algum outro lugar) virou hit no You Tube, Trending Topic no Twitter e sensação na internet, merecendo os seus 5 minutos de fama. Sim, porque nesse mundo virtual de celebridades efervecentes, os 15 minutos foram diminuídos para 5, caso contrário não caberia todo mundo.

Vou fazer uma pausa pra você poder parar de rir de tanta coisa ridícula junta. Pronto, melhor? Então vamos falar o mais próximo de "sério" que é possível sobre esses pré-adolescentes e adolescentes de hoje em dia.

Já dizia Nelson Rodrigues que o jovem tem "todos os defeitos do adulto e mais um: o da imaturidade". Concordo com ele e acrescento: alguns adultos continuam adolescentes mesmo depois de velhos.

Mas eles não são o assunto, o assunto hoje são os adolescentes propriamente ditos, esta geração tão bem representada nesse vídeo. Já tive essa idade e quem me lê, se não morrer antes ou se não estiver me acompanhando através de uma sessão espírita, também já teve ou terá. Lá pelos 12, 13 anos começamos a descobrir o mundo. Tudo é novidade, portas, janelas e zíperes começam a se abrir à nossa frente e, na ânsia pela liberdade necessária para tantas descobertas, viramos pequenos e insuportáveis rebeldes. Era assim no tempo dos nossos avós, foi durante o nosso tempo e assim será enquanto o sol brilhar.

Curtimos ouvir bandas de rock no último volume, nos trancamos no quarto, sofremos paixonites, só andamos em turma, tudo isso é comum, o que não é comum é a imaturidade extrema, a idiotice estratosférica, o linguajar de silvícola e a comunicação escrita digna de babuínos treinados que essa "galera" atual exibe com o orgulho de uma besta quadrada babando sua saliva asinina.
Escrevem como imbecis, comportam-se como imbecis e nem pra demonstrar rebeldia conseguem sair do circuito MTV. Podem me chamar de saudosista, podem falar o que bem entenderem, mas a turma que foi adolescente junto comigo tinha sim, ídolos roqueiros, enchia salas de espetáculo, andava atrás deles, mas era diferente.

Basta pegar uma letra, qualquer letra de qualquer música, da Legião Urbana, Plebe Rude, Camisa de Vênus, Paralamas do Sucesso, Titãs, Ira! e comparar com essas bandinhas cultuadas agora como Restart, NX Zero, Hori e o escambau, e teremos quase certeza que as mulheres grávidas de 1995 pra cá sofreram os efeitos de algum tipo de radiação. Leia +.

Marcos Vinícius, no blog Contra a Correnteza.

acrescentando parênteses ao que já dizia Renato Russo: "vamos celebrar a estupidez (adolescente) humana..."

2 comentários:

Marielen Cordeiro disse...

Diagnóstico: cãibra no cérebro...
Tratamento: exercícios para a mente. O menor sinal de saída do estado de atrofia cerebral já atenuará os sintomas...
Tenho medo do mundo que estou deixando para os meus sobrinhos... =S
Pava, lóviu! =)

euro disse...

O texto é ótimo, mas eu penso o seguinte, q tudo isso é um processo, q começou exatamente nessas bandas aí q ele citou dos anos 80, na moral, as bandas de rock brasileiro boas mesmo, com algum conteúdo de letra e musical, são muito pouco conhecidas ou discutidas. Como Mutantes, Sagrado Coração da Terra, Bacamarte e entre outras.
Essa cultura inútil, começou sim, com o senhor renato russo, disfarçado naquela rebeldia alienada. Existe um gap enorme entre Kiss, Ozzy e esses caras...salvo paralamas(e olhe lá!)

Blog Widget by LinkWithin