19.7.09

Que porra de Evangelho é esse?

A prova de que o cristão não anda muito interessado em aprender sobre Cristo é o fato de que nesse momento muitos cristãos conhecem maravilhosamente bem o significado de porra mas nunca se interessaram em ler ao menos os evangelhos. Cai como uma luva sobre a igreja brasileira a já tão conhecida frase do Tony Campolo: “Enquanto você dormia ontem, 30000 crianças morreram de fome ou de doenças relacionadas a má nutrição. E mais, a maioria de vocês nunca ajudaram em merda nenhuma. E o que é pior: você está mais perturbado com o fato de eu ter dito “merda” do que com a notícia de que 30000 crianças morreram de fome na última noite.

Qualquer um que vai à igreja se depara com uma deturpação da lei da semeadura que apresenta-se de maneira tão clara:

Gal 6:7 Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
Gal 6:8 Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.

Como não poderia deixar de ser em um momento que a alienação atinge altíssimos níveis na igreja cristã - a batida contínua na mesma tecla ocorre somente porque é o que se pode ver diariamente desde igrejas de fundo de quintal a templos enormes portanto, calar-me ao meu ver é ser conivente - interpreta-se um versículo que fala de recompensa pós-vida para alimentar um povo fanático com falsas esperanças de vitórias.

O primeiro erro está em pensar que semear é cumprir ritos considerados sagrados por humanos. Sim, é difícil de acreditar mas, ainda existem pessoas que acreditam que não fumar, beber ou xingar é mais importante do que coisas extremamente piegas como amar e perdoar. A constatação do motivo é fácil e simples: o cristianismo não é simples, ele é conciso. Quando nos utilizamos da famosa e clássica definição de empatia:

Mat 7:12 Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas.

não estamos dizendo que o evangelho é simples ou de fácil entendimento prático, observa-se que Cristo definiu a prática das boas-novas de forma concisa, até porque se o cristianismo fosse de fácil compreensão a prática, mesmo por aqueles que dizem não viver uma religião, seria bastante palpável.

Na realidade o que se prega em quase todo culto o qual você tenha o desprazer de ir não passa de uma imitação barata do tão afamado Karma. Faça uma coisa boa e algo bom acontecerá e o mesmo ocorre com o oposto, essa é a definição mais simples de karma. Ou, quem sabe, pregadores, no afã de agradar o lado científico, tentam aplicar a Terceira Lei de Newton conhecida como Lei da Ação e Reação a uma mensagem totalmente metafísica.

Bastante clichê o discurso de crítica à igreja, no entanto a putaria que estão transformando a interpretação bíblica é tão absurda que falar palavras consideradas de baixo calão não chega nem perto da enganação e do prejuízo que os evangélicos trazem a sociedade. Fazem uma orgia de significações com um único, simples e absoluto objetivo: agradar seus próprios egos. Quem terá coragem de dizer que nenhuma personagem bíblica da Nova Aliança se deu bem em vida? Que os mais fieis tiveram mortes terríveis? Que o cristianismo não é uma vitória em vida? Que porra de Evangelho é esse que dizem pregar?

P.S.: O objetivo do uso de palavrões é causar impacto no sentido de que é isso, em linguagem clara e simples, que os não-cristãos perguntam quando vêem escândalos e mais escândalos, incoerências e fanatismo. A mensagem de Cristo é clara, apesar de João 13:35 não se fazer presente nunca.

P.S.: Peço desculpas aos que não gostam de ler tais palavras, me apoio na licença poética apesar da falta de poesia.


Raphael Rap, no blog Rapensando.

4 comentários:

Alessandro Martins disse...

O conceito de karma mais adequado é esse mesmo: o da ação e reação, como uma lei física. O resto é misticismo. Lembrando que não existe karma bom ou karma ruim, apenas a interpretação imediata que damos a ele. Afinal, a gravidade é boa ou ruim...

Uma curiosidade... seu texto está sendo super-compartilhado no Google Reader, mas fiquei surpreso de não haver nenhum comentário aqui... curioso!

diogo disse...

NA VERDADE VC ESTAVA CERTO AS PALAVRAS DE BAIXO CALÃO ME CHOCARAM. NÃO CONCORDO COM O USO DAS MESMAS. Mas entendo sua indignação com relação à Igreja que fraudulentamente tem enganado os ingênuos bem asseverou Paulo a respeito destas pessoas quando disse que viria um tempo onde as pessoas teriam comichão nos ouvidos, e, não suportando a sã doutrina, amontoariam “doutores” a sua volta para lhes dizer somente aquilo que querem ouvir, e assim seguiriam alegremente as instruções desorientadas destes “doutores”. Eu mesmo tenho experimentado desta indignação há algum tempo. Quando me deparei com a ganância exacerbada de líderes e fies, que “topam tudo por dinheiro” ou fama, percebi quão longe o ser humano pode chegar de Deus, mesmo parecendo tão perto. É muito triste que aqueles que deveriam ser baluartes da verdade tem se tornado sustentáculos do inferno.

PC disse...

Karma para mim, é uma frase mineira para se evitar o pânico.

Carlos Alberto disse...

Quando li o texto me recordei da "teologia moral de causa e efeito" discernida e comentada pelo Rev. Caio Fábio no livro "Enigma da Graça". Não me "escandalizei" com os palavrões e acho que, neste caso, eles se encaixaram muito bem pois mostram de uma maneira muito criativa o que é "coar um mosquito e engolir um camelo". Na cristandade, de modo geral, vidas são menos importantes que tradições, valores históricos, preferências, conveniências e milindres bobos. Nesta percepção pagã o homem foi feito por causa do "sábado". Creio que a exemplo do que disse O Senhor: "todo erro da religião decorre da deliberada ignorância da Palavra." Sim, os cristãos não conhecem o Cristo... Por isso tanto desamor e egocentrismo.
Carlos Alberto-Pr.

Blog Widget by LinkWithin