16.10.09

Menino muda de sexo aos 8 anos nos Estados Unidos

Josie Romero é uma menina de oito anos. Josie já foi Joey, um menino. A história sobre a mudança de sexo e de como isso foi enfrentado pela família da criança, nos Estados Unidos, é tema de um documentário que será transmitido na semana que vem no canal Channel 4, na Inglaterra. Os relatos também estão nos sites dos jornais britânicos (Telegraph, Daily Mail, The Sun) nesta quinta-feira (15) e foram contados no documentário "Sex, lies, and gender", no canal National Geographic, em setembro.

A mãe de Josie, Venessia, diz que, desde que a filha começou a falar, sempre afirmava: "Eu sou uma menina". Os pais a corrigiam: "Não, você é um menino". Josie, à época Joey, insistia em tentar transformar seus brinquedos de garotos em brinquedos de menina. A mãe afirma que a brincadeira preferida da filha era enrolar seus cachecóis na cintura e fingir que eram saias.

A família viveu até o ano passado no Japão. O pai de Josie, Joseph Romero, é engenheiro das Forças Armadas americanas. Quando Josie tinha quatro anos, os Romeros adotaram uma menina chinesa de dois. Os pais temeram que a filha mais velha ficasse com ciúmes, mas dizem que ela gostou muito da chegada de Jade. As duas brincavam como duas garotas.
Venessa afirma que, no início, achava que tinha um filho homossexual. Porém, depois se deu conta que era uma criança transexual. Ela conta que começou a comprar roupas de menino e de menina e deixar o guarda-roupa dividido com as duas opções. Josie sempre optava pelas vestimentas femininas.

Na base militar em que a família morava e as crianças iam à escola, Joseph diz que o preconceito era grande. Ele mesmo afirma que foi difícil aceitar que seu filho era uma menina. Segundo Joseph, o primeiro sentimento que teve foi de que havia perdido seu filho. Depois, percebeu havia ganhado uma filha.

 Divulgação  / National Geographic
AS IRMÃS
Josie (ao centro) e sua irmã adotiva, Jade, dois anos mais nova

Os Romeros voltaram para os Estados Unidos no ano passado. Josie recebe atendimento médico e psicológico. Ela tomará medicamentos para evitar a puberdade masculina. Quando completar 12 anos, deve ingerir hormônios femininos. A mãe diz que Josie já sabe que terá de passar por uma cirurgia de mudança de sexo quando for adulta. No Arizona, onde vivem, Josie participa de grupos de apoio para famílias de transexuais, incluindo crianças. Ela conta sua história. Venessa diz que a filha é muito feliz por poder compartilhar a sua experiência, para ajudar outros pais e filhos que passam pela mesma situação.

No ano passado, todos os documentos de Josie foram alterados. Ela é considerada, legalmente, uma pessoa do sexo feminino.

fonte: Época
dica da Cristina Danuta e do Jarbas Aragão

9 comentários:

Renata Macedo disse...

Li uma matéia na "Isto é" no início desse ano, sobre este mesmo tema. A cada dia isto está se tornando mais comum nos EUA. Por outro lado, apesar de ser necessário respeitar as diferenças, acho intrigante justamente de lá ser um país cheio de preconceitos, um tanto quanto alienado, etc. Quero futuramente ver uma matéria que fale sobre o futuro dessas crianças. Bjão e bom fds.

Alice disse...

... é.... e há mesmo muita coisa entre o céu e a terra.... mas muita mesmo !


beijoooooooooooooooo

Pastor Afonso disse...

O SANGUE DE JESUS TEM PODEEEEEEER....com certeza o psicologo era gay, o psiquiatra também, ou então simpatizantes. E outra. SE TODOS QUE NASCEM E querem SER O QUE IMAGINAM ou DESEJAM, ESTE MUNDO ESTARIA MUITO PIÓR. SE ELE REALMENTE FOSSE MENINA NÃO TERIA NECESSIDADE DE USAR REMÉDIOS PARA SER MAIS 'feminino'.ROMANOS 1:26, 27 Por isso, Deus os entregou a paixões vergonhosas: as suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza. semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro.

Anônimo disse...

é isso aí pastor afonso

Gustavo K-fé disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gustavo K-fé disse...

Alegro-me com o evangelho puro de Jesus do qual o pastor Afonso parece esquecer-se onde é preciso se fazer como uma criança para entrar no Reino dos Céus, em que o banquete é para os excluídos e onde as mais duras críticas são feitas aos fariseus e líderes religiosos, mestres em repetir as palavras de morte da lei. O Filho do Homem é senhor até do sábado.

Gustavo K-fé disse...

Este pseudo-evangelho é de morte porque, em vez de identificar e preservar a dignidade da vida, traz a morte no seu legalismo.

Anônimo disse...

Tive uma professora, nem sua família ficou sabendo, só os mais íntimos que fez a operação de mudança de sexo quando seus órgãos amadureceram e ficou caracterizada como uma mulher por ser hermafrodita. Teve uma filha.
Penso muito a respeito de meus queridos amigos que nasceram gostando de boneca, acho que se os pais deles tivessem feito isso quando pequenos estariam felizes e casados.
Quando se faz a mudança de sexo deixa de ser homossexual.
E que Deus me corrija se estiver errada.
Cristina

Claudinha F. disse...

Pastor Afonso demosntrou total ignorancia acerca do transexualismo.

Sobre a notícia só tenho a dizer que acho que uma criança de 8 anos não deve ser "tão levada a sério", resumindo, acho que pode sim haver mudança de pensamento e deviam deixa-lo crescer pra resolver isso por si, mesmo que os indícios da disforia de gênero sejam enormes, ele só tem 8 anos, com 8 anos a gente acha que o homem aranha existe, a gente tem medo do bicho papão e mais um bando de coisa.

Acho que os pais estão cometendo um erro grave e acho tb que até o menino completar 12 anos deverá mudar de ideia ou então ter completa certeza do q quer.

Blog Widget by LinkWithin