10.10.09

Passar por cima das nossas feridas

Os humanos sofrem bastante.
Muito, para não dizer a maior parte, do nosso sofrimento tem origem na relação com aqueles que nos amam.
Estou constantemente ciente de que a minha agonia profunda provém, não dos terríveis eventos que leio nos jornais ou vejo na televisão, mas da relação com as pessoas com quem partilho a minha vida diária.
São precisamente os homens e mulheres, que me amam e que estão muito perto de mim, os que me ferem. À medida que ficamos mais velhos, geralmente vamos descobrindo que nem sempre fomos bem amados. Com freqüência, os que nos amaram também nos usaram. Os que se interessaram por nós foram, por vezes, também invejosos. Os que nos deram muito, por vezes, exigiram também muito em troca. Os que nos protegeram quiseram também possuir-nos nos momentos críticos.
Habitualmente, sentimos a necessidade de esclarecer como e por que é que estamos feridos; e, com freqüência, chegamos à alarmante descoberta de que o amor que recebemos não foi tão puro e simples como tínhamos julgado.
É importante esclarecer estas coisas, especialmente quando nos sentimos paralisados por medos, preocupacões e anseios obscuros que não compreendemos.
Mas compreender as nossas feridas não basta. Ao fim, temos que encontrar a liberdade para passar por cima das nossas feridas e a coragem para perdoar aos que nos feriram. O verdadeiro perigo está em ficarmos paralisados pela raiva e pelo ressentimento. Então começaremos a viver o complexo do "ferido", queixando-nos sempre de que a vida não é "justa".
Jesus veio livrar-nos destas queixas auto-destrutivas. Ele nos ensina a por de lado as nossas queixas, perdoar os que nos amaram mal, passar por cima da sensação que temos de sermos rejeitados e ganharmos coragem para acreditar que não cairemos no abismo do nada, mas no abraço seguro de Deus cujo amor curará todas as nossas feridas.

Henri Nouwen

4 comentários:

blogdaleilahh disse...

Hum...Isso não é nada fácil: "passar por cima das nossas feridas e a coragem para perdoar aos que nos feriram."

Eu estava nesse estado: " O verdadeiro perigo está em ficarmos paralisados pela raiva e pelo ressentimento. Então começaremos a viver o complexo do "ferido", queixando-nos sempre de que a vida não é "justa".

Agora...creio que: "
Jesus veio livrar-nos destas queixas auto-destrutivas. Ele nos ensina a por de lado as nossas queixas...

Mas ainda é difícil: "perdoar os que nos amaram mal, passar por cima da sensação que temos de sermos rejeitados"...

E então tenho esperança que terei: " coragem para acreditar que não cairemos no abismo do nada, mas no abraço seguro de Deus cujo amor curará todas as nossas feridas."

Enquanto isso...estamos aqui...até mesmo como "curadores feridos."
Abraço.
Leilahh

Orcilene disse...

Amado, Graça e Paz,

Me esforcei para ter um tempo hoje, e que bom que foi hoje, hein! (é que estou em tratamento noutro estado, e quando venho nos finais de semana, minha mesa está cheia de serviços).

Neste esforço fui tão agraciada pelo Pai, pois, só tenho lido maravilhas de meus seguidores. Muito lindo o que tu escrevestes!. Vou ousar e dizer que veio da alma, se não viesse, jamais eu conseguiria vislumbrar a alma destes feridos, as entranhas abatida destas vítimas.

E, percebo na tua conclusão, e no sábio comentário da Leila que este é o divisor das águas, que nos separa dos que ainda não experimentaram a maravilhosa luz de Deus. Eles ficam remoendo, fomentando o ódio, as magoas, em fim, todo sentimento maléfico. Enquanto nós somos curados pelo Pai, ou então, quando as feridas ainda estão abertas, temos a esperança de que o Pai as cicatrizará.

E, o que é mais maravilhoso, queridos, que o Espírito que habita em nós não nos permite praticar atos revide, mas, tão somente, ficarmos com a alma entristecida.

Graça a Deus pelos cuidados d’Ele para com nós, a tal ponto, que ainda assim, se consegue dar frutos abundantes.

Em Cristo,
Tua irmãzinha, Orcilene.

Orcilene disse...

Em tempo, o que tu postastes, e não escrevestes, pois, vejo que o autor é outro.

Mas sempre (ou melhor quase) o texto que escolhemos para postar tem alguma coisa que nos toca.
Orcilene.

Anônimo disse...

Mais uma pérola do Nouwen. Obrigada pelo delicado post. Lindo!!!!

Blog Widget by LinkWithin