5.12.09

Bíblia Conservadora: Jesus não perdoa

A Bíblia Conservadora é um projeto que tem por objetivo apresentar a palavra de Deus em inglês contemporâneo, removendo ao mesmo tempo as distorções liberais.

The Conservative Bible Project

Em agosto deste ano Andy Schlafly lançou o Projeto da Bíblia Conservadora no sáite conservapedia.com, sáite fundado em 2006 para corrigir o suposto viés liberal da wikipédia.

Até agora o Projeto da Bíblia Conservadora, fundado por Schlafly de seu próprio bolso, completou um terço do Novo Testamento e de Gênesis. As mudanças mais controversas são a eliminação do Novo Testamento das histórias em que Jesus perdoa a mulher adúltera e perdoa seus perseguidores na cruz.

“O erro fundamental dessas passagens está em ensinar às pessoas que podem fazer o quiserem e serão perdoadas, mesmo se não se arrependerem”, afirmou Schlafly.

Schlafly observa – corretamente – que ambas as cenas não constam dos manuscritos mais antigos. Para ele, isso comprova que nunca aconteceram.

“Os liberais amam a cena do apedrejamento porque podem usá-la contra a pena de morte”, disse Schlafly. “Mas naquela época eles não apedrejavam mulheres: eles as estrangulavam”.

Ele também culpa os acadêmicos liberais por terem feito com que as traduções bíblicas do século XX, como a Nova Versão Internacional, promovessem o socialismo, o antiamericanismo e o feminismo, minimizando o julgamento de Deus e os horrores do inferno.

Seria fácil desprezar Schlafly como um excêntrico sem credibilidade, não fosse o fato de que sua conservapedia.com acumula dezenas de milhões de visitas e está presente na lista dos 50 maiores sáites conservadores dos Estados Unidos, segundo o RightWingNews.com

Mark Barna, Conservative bible hits cyberspace

A Bíblia Conservadora obedece as seguintes diretivas:

  • Sistema de referência contra o viés liberal;
  • Não emasculada, evitando linguagem unisex e outras distorções feministas;
  • Utiliza potentes termos conservadores, atualizando palavras como “palavra”, “paz” e “milagre”;
  • Aceita a lógica do inferno, jamais negando ou minimizando a existência do inferno ou do diabo;
  • Expressa as parábolas do livre mercado, esclarecendo as numerosas parábolas econômicas em seu completo sentido de livre mercado;
  • Exclui passagens não-autênticas inseridas posteriormente: remove passagens interpoladas sobre as quais os liberais baseiam seus argumentos, como a história da mulher adúltera.

The Conservative Bible Project

Paulo Brabo, no A Bacia das Almas,

3 comentários:

CHICCO SAL disse...

Vai faltar formol no mercado...

Railson Oliveira disse...

Meu Deus! E eu que, ingenuamente, sempre me considerei conservador... Tanto que, devido a debates recentes, estava pensando em sugerir aos liberais/progressistas que estabelecessem seu próprio cânon, já que reputam diversos textos das Escrituras como fictícios, de visão tacanha da época e até compêndios ideológicos pró-semitas. Não sei o que pensar sobre essa radicalidade do outro extremo...

Fernando Nunes disse...

Uma coisa é isolar os versículos da Bíblia Sagrada para justificar nossos erros. Agora estão retirando trechos da Bíblia?
Eles não tem medo do Inferno?

Eles tem que lembrar Mateus 5:18-19a (isso se não tiverem retirado):

"Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus(...)."

Blog Widget by LinkWithin