10.1.09

Hora da perseverança

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destroi o seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televião o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco, e os pontos sobre os is em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incessante.

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não respondem quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade.

Martha Medeiros

Leia +

2 comentários:

O Editor disse...

Caro Pavarini,
cumpre-me o dever de informar-te que o texto que postas como sendo do chileno Pablo Neruda, de fato se trata de um poema da escritora e jornalista gaúcha Martha Medeiros. Sempre aconselho a intelectuais que sejam mais criteriosos ao escolherem seus "melhores do ano", ao menos para não errarem a autoria das obras. Neruda e Martha têm cada qual o seu valor, mas não se confundem suas obras.
Mas não te desesperes. A imprensa espanhola e um político italiano cometeram o mesmo engano.

Vítor Rosa
www.pobrecegoenu.blogspot.com

Pavarini disse...

grato pela observação, vitor. já corrigi!

a história toda está no link abaixo:
http://www.lpm-editores.com.br/v3/artigosnoticias/user_exibir.asp?ID=706072

abraço

ps 1: este post nada tem que ver c/ a escolha dos "melhores do ano".

ps 2: o "intelectuais" é tão-somente fruto de sua gentileza. =)

Blog Widget by LinkWithin