21.2.10

Ele virou mulher. Ela não quer deixá-lo

foto2

A britânica Andrea Fletcher sempre foi a feliz companheira do respeitado escritor e jornalista John Ozimek e mãe de Rafe, 5 anos. O parceiro sempre foi tudo que ela desejou: gentil, honesto, inteligente, pai dedicado – não só ao filho do casal, mas também às filhas do primeiro casamento de cada um deles, Natasha, de 16 anos, e Meg, da mesma idade.

Após o último Natal, porém, John apareceu com uma novidade: nunca foi feliz sendo homem. Quer ser uma mulher. E já tem um nome: Jane Fae.

Andrea foi pega de surpresa. Ficou confusa. Mas, com o tempo, de acordo com a matéria de hoje do Daily Mail, simplesmente aceitou a mudança. “Ele pode continuar sendo o que sempre foi. E eu continuo a amar essa pessoa, não importa se é homem ou mulher”, afirmou. Andrea já comprou roupas de mulher para John…digo, Jane, e também um perfume feminino.

foto1

Ela conta que durante um bom tempo o companheiro andou distante e calado e ela sabia que ele tinha algo a dizer. “Pensei que ele me contaria que tinha alguma doença horrível ou que iria nos abandonar. Mas, no fim, era isso. Confesso que até fiquei aliviada”, disse Andrea. “Não vou abandonar minha alma gêmea”, garantiu, na entrevista.

O menino Rafe estranhou o pai vestido de mulher. “Por que papai está usando uma saia?”, questionou. A mãe explicou: “Alguns pais vestem saias se assim desejarem”. O menino aceitou a explicação. Mas continua chamando “Jane” de pai. “E é o que ele é para Rafe”, diz Andrea.

Na rua, o casal já enfrenta o preconceito geral. “Duas moças passaram por nós no supermercado e começaram a rir da aparência de John. Fiquei com muita raiva e gritei para elas: pelo menos não são feias e gordas como vocês! Elas calaram a boca”, conta Andrea.

Martha Mendonça, no blog Mulher 7 x 7.

19 comentários:

Roger disse...

Essa mulher pode ser bastante criticada, mas uma coisa me parece: ela ama mesmo esse homem, mulher, sei lá... ela ama mesmo essa pessoa!

Puxa...

Isaias Medeiros disse...

Duas palavras para descrever o comportamento daquela esposa: amor incondicional. Alguém sabe o que é isso?

Abraço.

Simplesmente Tininha disse...

O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta...
Ah! O amor...
Só espero que ele ou ela, sei lá... saiba valorizar este amor que tem recebido e que a cabeça desse filho não pire diante dessa situação...

André L. disse...

Tempos atrás eu vi um filme com uma história parecida.. talvez até tenha sido inspirado nesse casal. Achei bem interessante, eu gosto de ver paradigmas sendo quebrados. Abraços a todos!

Anônimo disse...

Móito modernos esses seus leitores, Pava.

Kd o Pastor Afonso prá vir aqui e mandar todos para o Inferno? kkkkk

Esta hora ele deve estar falando dos gafanhotos e pedindo dízimo na Comunidade Neopentecostal dele.

Abçs

Felipe Maia disse...

Nooooooooooooosaaaaaaaaaaa!!!!!!!!

Eu devo ter lido postagens alienígenas.

Parabéns Pava, pois, teu blog é tão acessado que até opiniões de outro planeta são dadas. KKKKKKK

Piada e piadela!!! Dá um tempo pessoal....

Quer dizer que em nome do amor vale tudo agora?!?!

O que que esse homem (não me venham com essa de ele ou ela. É ELE mesmo!!!) vai ser agora? Mulher hétero ou lésbica?

Porque se virou mulher e permanecer com a esposa é lésbica. E se for hétero vai ter que deixá-la e arrumar um "homem".

Mas, peraí, não é ela mas ele. Se deixar a mulher e arrumar um "marido" vira gay!!!

Shiiiiiiiii!!!!!! Que confusão dos Diabos. Eu não queria estar na pele, ou melhor, na mente do filhos deles não.

Sai fora jaburúúúúúúúúúúúúúú!!!!!!´

Abrçs a todos.

Reinaldo Carlos da Silva disse...

que coisa absurda, será que ele(a), teria coragem de fazer isso num presidio?

Thiago disse...

Virou uma tia feia. Pelo menos, poderia se vestir melhor, né?
=((

André L. disse...

Ah, só pra esclarecer! Eu não disse que concordo ou discordo... apenas gosto das possíveis discussões (inteligentes) levantadas sobre o assunto. Guerras seriam evitadas se as pessoas conseguissem dialogar com respeito, não é verdade?

Simplesmente Tininha disse...

Ops!
Acho q não soube me expressar...
Não disse q achava bonito o q ele fez. Só achei a atitude da esposa um tanto corajosa para suportar a atitude de um marido ou marida, sei lá...rs...
A minha real preocupação é com a criança. Que questionamentos perambulam na cabecinha desse pequeno garoto????
Qdo disse sobre o cara valorizar o "amor q ele tem recebido" é pq acredito q seja impossível qq mulher aceitar um marido nessas condições. Q ele possa refletir no constrangimento q ele está presenteando a família! Será que este homem, agora mulher, ama sua família?
Sim, o amor td sofre, td crê, td espera, td suporta... e espero q o verdadeiro amor traga luz à essa família!

Maya disse...

Acorda, Thiago! Em que planeta vc vive, cara? "Britânicas se vestindo bem" é ainda mais inexplicável que a situação marital desse casal! Huhauahu!

[placa de sarcasmo] <--- just in case

Diógenes SkauSURF disse...

Não para de me martelar a mente a passagem onde se lê que "o amor ardente encobre uma multidão de pecados"...

Roger disse...

Só pra esclarecer... a quem vocês estão condenando? Ou a quem acham que apoiamos?

Ao homem que se diz mulher, ou a mulher que ama o homem?

Porque se a atitude dele causa: espanto, horror, mal-estar, asco, repulsa, etc... a dela foi muito digna.

Aliás, ela, a esposa, me lembrou de um certo José, que ao 'constatar' que Maria pulara a cerca, não a deixou de imediato, pra que não houvesse escândalo maior...

Se a verdade sobre diversos casamentos fosse revelada, alguns puritanos ficariam de cabelos em pé, principalmente se soubessem as coisas que acontecem com casais à frente de púlpitos...

Outra coisa, diz a matéria que o cara resolveu 'virar' mulher, daí pra já falar em ser ele gay, hétero, lésbica, gay-lésbico, lésbica-gay-bissexual, bicha-sapatão-muito-macho-afeminado, etc, por estar com a esposa, já é viajar demais nas conclusões... que tal um passo de cada vez?

Vamos imaginar, à princípio, que ele seja/esteja perturbado, com problemas emocionais?

Deus seja louvado! Pois só ele vê a verdade...

Anônimo disse...

medoooooooooooooo, com td respeito!!!!!!!!! nao desejo esse destino a ninguem, a nao ser q a pessoa goste dele, mas acho dificil...

Simplesmente Tininha disse...

Peço desculpas se não soube me expressar direito. E pelo que vi, fui péssima mesmo. Reconheço =(
Eu achei a esposa corajosa em aceitar o marido em forma feminina, se a atitude dela é baseada em amor que esse amor o ajude à cair em si. Só não sei se dá pra acreditar que ele a ama. E o filho? A cabeça desse garoto... quantos questionamentos?????
Me dá pena...
Só espero que isso não vire moda...
Só isso.
Mas uma vez, me perdoem... como disse o Felipe Maia, devo ter sido abduzida...rs... e nem me toquei.
Me perdoem, mais uma vez!

Daniel Moreira disse...

Amor incondicional é quando não tem condição alguma para amar. No caso dela existem muitas condições como companheirismo (ela mesma citou que o parceiro sempre foi tudo que ela desejou: gentil, honesto, inteligente, pai dedicado), o filho que tiveram juntos, a história construída e sabe la as outras razões que existe por trás.

Incondicional até hoje só Deus.

Diógenes SkauSURF disse...

E ele(a) é emo... aquela franjinha não nega!

Só pode ser piada. portanto a leitura que eu faço é essa. Piada!

Roberto disse...

As postagens anteriores indicam uma aceitaçao inesperada entre o meio evangélico (se forem).

Evolução???

Afinal, a Bíblia é ou nao inerrante?

Cada um com seu chifre.

Duda disse...

Acho que a cabeça da criança pode ficar confusa num primeiro momento, mas depois que isso for amadurecido no cotidiano, esta criança vai ter tido acesso à vivência de uma imensa quebra de paradigma -- dentro da própria casa! Acho que será para a criança uma lição profunda de amor e respeito, e creio que o resultado disso tudo fará dela uma pessoa melhor, mais tolerante.

No mais, é uma belíssima história de amor. Só amor de verdade é capaz de superar preconceitos e paradigmas. Só amor pode significar uma verdadeira revolução!

Abraço!

Blog Widget by LinkWithin